O "Covil do Dragão" tentou com sucesso chegar à conversa com o jogador sub-19 do F.C.Porto e internacional português, Frédéric Maciel, depois dos jovens Dragões terem saído "derrotados" na luta pelo campeonato mesmo tendo vencido hoje o Guimarães no Olival. Frédéric disponibilizou-se de imediato a responder a algumas questões que lhe gostaríamos de colocar sobre si e o que perspetiva para a sua carreira depois deste último ano enquanto jogador de formação numa curta entrevista que passamos a transcrever abaixo.

Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Em primeiro lugar quero agradecer-te a disponibilidade imediata que tiveste para nos conceder esta entrevista e desde já perguntar-te qual é o estado de espírito do plantel depois desta vitória de hoje frente ao Guimarães que acaba com sabor a derrota visto que o Benfica venceu em Vila do Conde o Rio Ave por duas bolas a uma e arrecadou o Campeonato Nacional de Sub-19.

Frédéric: É claro que esta um ambiente triste pois apesar da grande época que fizemos nós somos porto e estamos habituados a ganhar. Evoluímos muito como equipa e individualmente mas há sempre aquela insatisfação por não termos ganho o campeonato.


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Tendo em conta que não perderam nem frente ao Sporting nem frente ao Benfica em nenhum encontro que disputaram e mesmo assim não conseguiram alcançar o título qual consideras ter sido o jogo que definiu este desfecho do campeonato?

Frédéric: Penso que todos os pontos que perdemos poderíamos ter feito melhor, mas o futebol é mesmo assim nem sempre ganha a melhor equipa e temos que nos habituar porque iremos viver isso ao longo das nossas carreiras.


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Pegando na tua deixa... Tive oportunidade de ler uma publicação tua na tua página oficial na rede social Facebook onde referias os teus 14 anos de luta enquanto jogador de formação e que hoje chegara o dia em que o ias deixar de ser para passar a ser jogador sénior. Como vives pessoalmente este momento? Quais são as sensações que te irrompem quando pensas no "dia de amanhã" e no teu futuro como jogador?

Frédéric: É um momento de grande alegria e a recordação de momentos muito bons da minha formação e fico com a sensação da primeira etapa bem cumprida. Não penso muito no futuro, vivo cada dia ao máximo e quando estou com a bola no pé apenas me divirto mas com responsabilidade. 


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Sendo um Portista assumido presumo que o teu objetivo seja chegar à equipa A do Futebol Clube do Porto. Quando é que te vês a jogar no Estádio do Dragão? 

Frédéric: Sim o meu sonho é chegar a equipa A e vou lutar todos os dias ao máximo para chegar o mais rápido possível ao topo. 


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Num site de desporto, a época passada, 2011/2012, entenda-se, numa ocasião em que foste chamado a treinar com a equipa A por Vitor Pereira descreveram-te da seguinte maneira: "ala direito muito rápido, que joga sobretudo pela linha, começou muito bem a temporada, nos Juniores, com golos e assistências, não é um tecnicista puro, é certo, mas sobressai pela intensidade constante, pela capacidade de fazer assistências, pelos golos que marca, e pelo poder de arranque." Ora digo eu: Um jogador com estas qualidades davam um jeitão no nosso Porto. Revês-te nesta descrição? 

Frédéric: É claro que me vejo a jogar na equipa A, sou um "verdadeiro" extremo, as minha maiores qualidades são a velocidade e o 1X1. Ainda sou novo e tenho uma grande margem de progressão. Quando surgir uma oportunidade estarei pronto para tentar ganhar o meu lugar no plantel. O que não é fácil pois todos eles têm uma grande qualidade e estão ao nível dos melhores do mundo. 


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Acredito que irás lá chegar, aliás, faço votos para que chegues. Quanto ao jogo de amanhã do F.C.Porto em Paços de Ferreira, o que perspetivas e que mensagem gostarias de passar aos teus companheiros? 

Frédéric: Penso que nestes momentos as palavras pouco importam pois a motivação é enorme, amanha eles vão entrar cheios de vontade e vão demonstrar porque estão em 1º lugar. E obrigado pela confiança em mim.


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): De seguida irei lançar-te algumas palavras e peço-te que digas o que significam para ti pode ser? 

Frédéric: Ok amigo. 


Grenoble: "Onde nasci e desde daí que amo jogar futebol." 

Esposende: "Quando penso em Esposende lembro me sempre da minha família e onde passei toda a minha infância." 

Varzim: "Foi a partir daí que comecei a acreditar que poderia chegar ao topo. Graças ao grande Mister Caxeira." 

Braga: "Um grande clube, evoluí muito como jogador." 

Sporting: "Evoluí muito como homem, com 14 anos fui para Alcochete morar sozinho e foi aí que ganhei responsabilidade e maturidade." 

F.C.Porto: " É a minha casa, são como uma família para mim. Acolheram da melhor forma possível e agora estou a trabalhar para retribuir todo o carinho que me deram em excelentes exibições na equipa A." 

Cidade do Porto: "É magnifico, é o melhor sitio para passear e conhecer novas coisas. Penso que qualquer pessoa que venha conhecer a cidade fica fascinado." 

Portistas: " Dos melhores adeptos que existem no mundo, eles amam o clube e exigem o máximo de nós. Estive presente em alguns jogos da equipa B e é muito bom quando eles "puxam por nós". 

Espero um dia ter o prazer de o Estádio do Dragão cantar o meu nome (pequeno riso). 


Covil do Dragão (Paulo Ribeiro): Com certeza um dia irá gritar, resta-me agradecer-te a disponibilidade que tiveste, a tua simpatia, humildade e desejar-te tudo de bom. Um dia vou-te pedir a camisola ao Dragão com um cartaz enorme. 

Frédéric: Muito obrigado amigo e será um prazer dar te uma camisola minha no Dragão (sorriso). 


É de notar que o Frédéric Maciel concedeu esta entrevista em exclusivo ao "Covil do Dragão". De modo a respeitar o entrevistador e o entrevistado não faça cópia indevida deste artigo sem consultar a nossa comunidade e não mude palavras ou excertos da mesma que podem conduzir a interpretações parciais e divergentes das palavras acima transcritas. 


Muito obrigado, 
Covil do Dragão.

Comente com o Facebook:

 
Top