Médio do Pachuca repetiu em entrevista ao jornal "Marca" o que já dissera a O JOGO: que não se importa de "mudar tudo" para jogar nos dragões.


Por mais que, oficialmente, nenhuma das partes confirme o negócio, Héctor Herrera já dá a mudança para o FC Porto como um dado adquirido. E explicou o porquê. "Dei a minha palavra de que jogarei no FC Porto", referiu o médio, citado pelo jornal "Marca", depois de já o ter feito a O JOGO, conforme foi publicado na edição em papel do passado dia 1.

O mexicano garante mesmo não se importar de "mudar tudo" para representar os dragões a partir da próxima época. "Acredito que poderei adaptar-me rapidamente. Estou consciente de que vai ser uma mudança drástica, mas não tenho medo de aprender outro idioma e outros costumes", afiançou.

Herrera explicou que "o FC Porto é a oportunidade" que lhe surge neste momento, mas confessou que também gostaria de "jogar em Espanha", não só "pelo idioma, mas também pelo jogo". O nível de Espanha é muito bom. É certo que o Real Madrid e o Barcelona sobressaem, mas, para mim, as melhores equipa estão em Espanha", indicou.

Fã de Riquelme, Herrera revelou que atualmente aprecia muito Iniesta. "É muito inteligente e é muito difícil vê perder a bola. Para desarmar Iniesta é preciso uma pistola", atirou o médio, que colocou a final dos Jogos Olímpicos de Londres, frente ao Brasil, como o melhor momento da carreira.

"Imaginava-me a vencê-la, mas não de uma forma tão bonita como o fizemos. Foi uma final perfeita, de sonho. Enfrentar o Brasil com todas as suas estrelas e ganhar... foi algo extraordinário", assegurou Herrera, que reencontrará a canarinha na Taça das Confederações.

Comente com o Facebook:

 
Top