É o regresso do FC Porto à ilha dos últimos desencantos. Isto porque foi na Madeira, com o Marítimo, que os dragões hipotecaram recentemente quase todas as esperanças de conquistarem o título de campeão nacional e Varela viu a vida andar novamente para trás. Agora o adversário é o Nacional, na Choupana, mas o desconforto idêntico...

Os portistas empataram (1-1) no Funchal, na jornada 23, e deixaram de depender deles próprios a tão poucos jogos do embate de titãs, no Dragão. Na última ronda torceram para o Benfica escorregar no Caldeirão dos Barreiros, mas ficaram tanto ou mais desiludidos dada a vitória dos encarnados e a vantagem para os azuis e brancos continuar a cifrar-se nos quatro pontos.

Varela repete, entretanto, viagem da qual não guarda boas recordações. Foi na casa maritimista que perdeu a oportunidade de recuperar o lugar na equipa e a confiança do treinador, de castigo que esteve, entretanto, por ter reagido mal à substituição, por Izmailov, depois de render Atsu, que saíra lesionado logo no início da partida.

Mas agora Varela já não deverá regressar à condição de suplente neste desafio da 28.ª jornada, com o Nacional, na Choupana, onde será muito certamente primeira opção. Pelo menos, foi o que deixou perceber Vítor Pereira no final do último desafio, com o V. Setúbal, admitindo relegar Atsu para o banco por ter chegado à conclusão de que o ganês não está totalmente recuperado da lesão sofrida... no embate dos Barreiros.

A confirmar-se, o tridente atacante será formado por James, Jackson e Varela, que já não é utilizado desde o jogo com o Nacional, no Dragão, realizado a 5 de janeiro. Há praticamente quatro meses. Quem diria...

Comente com o Facebook:

 
Top