O reforço sonha com a Liga dos Campeões e antecipa uma concorrência “saudável” com Ricardo Moreira.

António Areia define-se como um “atleta com uma paixão grande” pela modalidade e foi essa mesma paixão que o levou a trocar o Benfica pelo FC Porto, com o qual assinou um contrato de dois anos. Não foi uma “decisão de ânimo leve”, mas a mudança para o Dragão Caixa afigurou-se como uma oportunidade a não perder: o domínio azul e branco da modalidade em Portugal e a presença na Liga dos Campeões – “é o objectivo de qualquer atleta, é chegar ao mais alto nível” – tornam o pavilhão no grande templo do andebol nacional. O ponta-direita falou ao Porto Canal e www.fcporto.pt sobre o novo passo na carreira e o futuro que se avizinha.

“Esta oportunidade surgiu através de várias conversas durante a época passada. Acho que era difícil dizer que não, porque estamos a falar do FC Porto, que é heptacampeão nesta modalidade, que tem grandes ambições e objectivos”, resumiu. Areia esteve durante oito anos no Benfica e admite que a saída foi uma decisão difícil, alicerçada numa palavra: ambição. “Quando estou dentro destas quatro linhas esqueço tudo o resto. Faço tudo para ajudar a minha equipa a ganhar e para que os adeptos gostem do que vêem. Dou tudo de mim e trabalho arduamente para que acreditem em mim e na equipa.”

Em 2014/15, Areia foi o melhor marcador do clube da Luz no Andebol 1, com 120 golos, tendo ainda apontado 28 na Taça de Portugal e 40 na Taça Challenge. Tratou-se de uma época que “correu bem” ao segunda linha: “Sinto que no ano passado dei um salto enorme na minha maneira de jogar e eficácia. É claro que amadureci bastante, mas isso só acontece quando se tem muitos minutos”. No FC Porto, terá de pôr todos os atributos em campo, tendo como concorrente directo o capitão Ricardo Moreira. “Quero jogar muitos minutos e para isso tenho de os ganhar. Quero vingar, fazer boas exibições e se isso acontecer é porque estou a ajudar a equipa. Vamos estar numa competição constante e saudável, mas se eu fizer o meu melhor o Ricardo vai estar contente e se o Ricardo fizer o melhor dele também vou ficar contente, porque remamos todos para o mesmo lado.”

António Areia já foi campeão nacional pelo Benfica, em 2007/08, mas jogando pouco. Agora, terá certamente um papel mais relevante na luta por um título que há muito persegue. “Gostava de ter outro já esta época, outro na próxima e quantos mais melhor”, nota. Ao leme da equipa estará Ricardo Costa, um ex-ponta direita que Areia muito admirava – “via muitos jogos quando ele estava fora e era sem dúvida um jogador com que me identificava” – e que irá trazer novos métodos. “Estamos todos a adaptar-nos bastante bem às suas ideias e não vai haver grandes dificuldades, apesar de ser natural um período de encaixe e de assimilar rotinas”, ressalva.

Fonte: www.fcporto.pt

Comente com o Facebook:

 
Top